Você já ouviu falar em propagação DNS? Ao realizar a migração de um site para outra empresa de hospedagem, é importante ficar atento às alterações de DNS e nameservers.

Ao suceder-se qualquer tipo de mudança na Zona DNS de um domínio ou alterar os Servidores DNS para outros nameservers, a frase mais comum que lhe será apresentada é: “A alteração foi realizada com sucesso, agora, basta aguardar a propagação DNS.”

E muitas dúvidas podem surgir ao usuário, como:

  • O que é esta tal propagação?
  • Por que tenho que esperar?
  • Quando devo realizar uma alteração de registro ou servidor DNS?
  • O que acontece se eu alterar algum registro no momento errado?

Todas estas dúvidas comuns – e muitas outras! – serão respondidas neste artigo.

Aqui, você verá também quais os principais fatores que afetam o tempo de propagação, como acompanhar a propagação de um registro DNS e quais os principais aspectos para avaliar ao escolher o DNS.

Quer aprender mais sobre o assunto? Então vamos lá!

Índice do Conteúdo:

O que é DNS (Domain Name System)?

como funciona a propagação do DNS?

DNS é a sigla para Domain Name System, traduzindo, Sistema de Nomes de Domínios. De uma forma resumida, trata-se de uma tabela de nomes de domínios que armazenam uma listagem de registros que direcionam o host (nome) ao seu respectivo destino.

Isto quer dizer que além de hospedar seu site, será necessário hospedar também sua tabela de registros DNS.

Pois é necessário que exista uma hospedagem DNS para que o servidor consiga traduzir os endereços que digitamos no navegador (ex: seusite.com.br) para o endereço real do website que, na verdade, nada mais é que um endereço de IP (Internet Protocol).

Deixe eu te explicar melhor:

Cada domínio tem seu próprio endereço de IP na Web, quando um usuário pesquisa por um site, está indicando que deseja acessar o conteúdo do respectivo domínio.

Mas como o seu computador ou smartphone vai saber em qual servidor está hospedado o site que você buscou? É aí que entra em ação os Servidores DNS e a Tabela de registros DNS.

Ao digitar no navegador www.site.com.br o mesmo irá consultar quais são os servidores DNS do domínio e direcionar para a tabela de registros DNS (Zona DNS), onde irá conter um registro como o do exemplo abaixo:

tabela de registros DNS

Desta forma, será possível acessar o conteúdo do site pesquisando pela URL no browser do navegador. Todo este processo de verificação ocorre em milésimos de segundos e você verá o conteúdo desejado na tela do seu computador ou dispositivo móvel como num passe de mágica.

DNS autoritativo

Os servidores DNS autoritativos são aqueles que podem oferecer informações a um domínio, ou seja, têm a autoridade para exercer tal função.

É possível dizer que um servidor autoritativo consegue controlar as zonas DNS de um domínio, definindo um IP e um servidor para execução de cada serviço associado ao domínio.

Sendo assim, por meio do DNS autoritativo, é possível ter um site hospedado em um servidor diferente de seu banco de dados e assim por diante.

DNS recursivo

Enquanto isso, o DNS recursivo é o responsável por procurar os endereços IPs e domínios de servidores os quais você solicitou acesso.

É comum que informações como essas sejam mantidas em cache, a fim de cortar o tempo de pesquisa e criar uma experiência mais fluida para o usuário.

Apesar disso, nem sempre é possível recuperar essa informação automaticamente, e é aí que o DNS recursivo entra em ação.

E a propagação DNS? Entenda como funciona

Como falamos no tópico acima, existem dois níveis de DNS até que o site seja acessível na sua tela: o Servidor DNS e a Tabela DNS.

O Servidor DNS é o responsável por indicar onde está hospedada a Tabela de registros DNS (Zona DNS) e a partir de então, a Zona DNS irá indicar qual IP corresponde ao respectivo domínio, respondendo ao usuário o conteúdo hospedado por trás do IP indicado.

Chamamos de propagação DNS o tempo gasto para que ocorra a replicação de qualquer alteração de Servidor DNS ou registro de Zona DNS na Web.

Em outras palavras, propagação DNS refere-se ao período de tempo em que os provedores de internet (ISP – Internet Service Providers) e servidores ao redor do mundo levam para atualizar seus caches com as novas informações DNS do determinado domínio.

Ao realizar qualquer alteração DNS, seja ela de registro ou nameserver, existe um intervalo de tempo até que este novo registro seja repercutido em toda a Web e os usuários passem a acessar o novo registro e não mais o antigo.

Já o tempo de propagação de uma alteração DNS é algo relativo. Alguns provedores de acesso à internet podem levar horas para identificar esta alteração e direcionar o usuário ao novo endereço.

Muitas vezes ela já pode ter ocorrido em um determinado lugar do mundo, mas em algum outro lugar ainda não. Por conta disso, não existe um tempo estimado para que ocorra a propagação DNS geral desta alteração em todos os lugares do mundo.

Quais fatores afetam o tempo de propagação?

Basicamente, existem três principais fatores que podem afetar o tempo de propagação DNS: as configurações TTL, seu Provedor de Serviços de Internet e o seu registro do domínio.

Quando o assunto é o tempo de propagação, existem diversas informações incongruentes a respeito.

Enquanto algumas empresas de hospedagem de sites informam que o tempo de propagação é uma estimativa que pode levar de 2 a 24 horas, outras informam que a propagação pode levar de 2 a 72 horas ou 24 a 48 horas.

É importante lembrar, no entanto, que estes são tempos estimados, e como estamos falando da internet, não há como definir um tempo padrão.

A seguir, falaremos sobre alguns dos principais fatores que podem influenciar o tempo de propagação DNS. Veja só:

Configurações TTL (Time to Live)

Todo o servidor DNS conta com uma configuração de TTL, que é a quantidade de servidores que o seu DNS consegue manter em cache.

Digamos, por exemplo, que você configurou o seu DNS para ter um TTL de 2 horas. Isso quer dizer que os servidores vão armazenar a informação por duas horas antes de precisar pesquisar novamente pelas informações em seu nameserver.

Um TTL mais curto pode ajudar a diminuir o tempo de propagação, mas aumentar o número de vezes que o nameserver é requerido, afetando a performance geral do seu site.

PSI – Provedor de Serviços de Internet

O cache do seu Provedor de Serviços de Internet consegue registrar dados locais, armazenando informações em vez de procurar por novas entradas em seu servidor DNS.

Isso é importante pois cria uma experiência mais fluida para o usuário, diminuindo o tempo de carregamento.

Apesar disso, como falamos no tópico acima, essa também é uma função que pode diminuir o tempo de propagação do DNS.

Alguns Provedores de Serviços de Internet podem até mesmo ignorar a configuração TTL e fazer atualizações periódicas a cada dois ou três dias.

O registro de domínio também pode afetar o tempo de propagação DNS, afinal, sempre que o seu nameserver é alterado, é enviado um requerimento para o registro de domínios para que o nome seja alterado.

Esse processo pode ser feito imediatamente em algumas zonas, enquanto em outras, o prazo pode ser de algumas horas, ou dias.

como verificar se a propagação foi concluída

Como acompanhar a propagação DNS?

A propagação DNS global pode ser acompanhada por meio de algumas ferramentas on-line, tais como:

Ao acessar ferramentas como essa, você poderá acompanhar se o seu DNS já foi propagado. Para usar sites como esses, basta colar o seu novo registro no campo adequado, informando também o tipo do seu registro DNS.

A procura, então, vai retornar com o resultado de todos os países onde o seu DNS está propagado devidamente.

Global DNS Propagation

Para acompanhar a propagação DNS, é possível verificar um registro modificado ou domínio através da ferramenta online Global DNS Propagation.

A ferramenta apresentada acima permite que você execute instantaneamente uma pesquisa de DNS para verificar o nome de domínio de um endereço IP atual e informações de registro de DNS em vários servidores de nomes localizados em diferentes partes do mundo.

Isso permite que você verifique o estado atual da propagação do DNS depois de ter feito alterações em seu registro de domínio.

A ferramenta permite que você execute uma pesquisa de diversos tipos de registro como: MX (registro de e-mail), CNAME (registros de nome canônico), A (registro de IP), TXT (registro de texto), entre outros.

Verificando propagação DNS pelo prompt de comando

Existe, ainda, uma outra maneira de fazer esse acompanhamento por meio do prompt de comando em equipamentos com Windows. Esse é um processo que mostra se a propagação DNS aconteceu para você, apenas.

Após migração de um site para outra empresa de hospedagem, a melhor forma de saber se a propagação DNS já ocorreu é executando o comando ping no prompt de comando da sua máquina. Execute o comando da forma abaixo:

ping seu_dominio.com.br

A resposta deste comando lhe trará o IP à qual o site está relacionado, sendo assim, você poderá verificar em qual IP estão buscando o conteúdo do seu site. Veja um exemplo para “ping google.com”.

C:\WINDOWS\system32>ping google.com

Disparando google.com [142.251.45.14] com 32 bytes de dados:
Resposta de 142.251.45.14: bytes=32 tempo=177ms TTL=115
Resposta de 142.251.45.14: bytes=32 tempo=162ms TTL=115
Resposta de 142.251.45.14: bytes=32 tempo=163ms TTL=115
Resposta de 142.251.45.14: bytes=32 tempo=181ms TTL=115

Estatísticas do Ping para 142.251.45.14:
    Pacotes: Enviados = 4, Recebidos = 4, Perdidos = 0 (0% de
             perda),
Aproximar um número redondo de vezes em milissegundos:
    Mínimo = 162ms, Máximo = 181ms, Média = 170ms

Para verificação dos servidores DNS, digite o comando: nslookup -q=ns [seu domínio]. Ele lhe trará uma resposta como no exemplo abaixo para o domínio google.com:

nslookup -q=ns google.com

C:\WINDOWS\system32>nslookup -q=ns google.com
Servidor:  dns.google
Address:  8.8.8.8

Não é resposta autoritativa:
google.com      nameserver = ns1.google.com
google.com      nameserver = ns4.google.com
google.com      nameserver = ns2.google.com
google.com      nameserver = ns3.google.com

Se os comandos acima responderem os mesmos servidores DNS configurados na registradora do seu domínio, isto implica que a propagação DNS já ocorreu.

Quando é preciso alterar o DNS?

É necessário somente alterar os Servidores DNS para outros nameservers a partir do momento que você adquiriu um novo domínio e vai hospedar seu site e Zona DNS juntamente a este provedor de hospedagem.

E é importante lembrar de alterar os Servidores DNS para os respectivos nameservers indicados pela sua empresa de hospedagem de sites em questão.

Você também deverá alterar os Servidores DNS caso precise migrar seu site e Zona DNS para outra empresa de hospedagem.

Isto é necessário para informar à Web que agora seu site está hospedado em outro lugar e corresponde à outro IP.

Assim os provedores de internet, após a propagação DNS, passarão a buscar o conteúdo do seu site em outro lugar.

Lembre-se também que estas alterações só devem ser realizadas partindo das instruções da equipe de suporte da sua empresa de hospedagem.

Toda e qualquer alteração de Servidores DNS deve ser realizada no momento correto, pois, caso contrário, seu site irá ficar fora do ar devido aos provedores de internet não conseguirem encontrar o lugar correto onde o conteúdo do mesmo encontra-se hospedado.

As alterações DNS também são realizadas na Zona DNS. Nem sempre ela e o site estão hospedados com o mesmo provedor.

Portanto, em muitos casos não será necessário alterar os Servidores DNS, mas somente um registro da Zona DNS. Estas alterações também só devem ser realizadas com confirmação e autorização da empresa de hospedagem para que nada inesperado aconteça.

 como escolher o DNS

Principais aspectos para avaliar ao escolher o DNS

Os principais aspectos a serem avaliados na escolha do DNS são: a segurança, a redundância e o desempenho.

Como você já sabe, o DNS impacta diretamente o tempo de carregamento de um site e pode ser decisivo para a experiência do usuário. Por isso, escolher o DNS certo é muito importante.

Segurança

A segurança do DNS, por sua vez, procura apontar o seu nível de resistência durante possíveis ataques virtuais.

Esses ataques podem redirecionar usuários para outros sites maliciosos, que roubam dados, minando a confiabilidade e reputação da sua empresa.

Redundância

A redundância é um dos principais fatores a serem considerados quando falamos em escolher um bom DNS.

Essa variável trata-se da capacidade de manter uma aplicação no ar, mesmo quando um determinado servidor apresenta falhas. Essa característica evita a instabilidade e melhora a experiência do usuário.

Desempenho

Você sabia que 53% das pessoas abandonam um site se a página demorar mais do que 3 segundos para mostrar conteúdo? Ou, ainda, que 67% dos usuários afirma que o tempo de carregamento é um dos fatores mais importantes para a sua experiência num site?

Esses dados foram publicados em pesquisa feita pelo próprio Google, e são extremamente alarmantes para empresas que têm DNS lento, afinal, esse é um fator que impacta diretamente na velocidade de carregamento.

Para finalizar…

Revendo o que foi abordado neste artigo, a propagação DNS refere-se ao período de tempo em que os provedores de internet e servidores ao redor do mundo levam para atualizar seus caches com as novas informações DNS do determinado domínio.

O tempo de propagação DNS é extremamente relativo, portanto, não há um tempo exato para determinar que a propagação ocorreu, entretanto, como vimos, existem algumas ferramentas disponíveis na Web que permitem acompanhar a propagação na Web.

Há também alguns métodos de verificar se a propagação já ocorreu para o provedor do qual você está realizando o acesso, para isso, basta utilizar os comandos de verificações.

Se gostou deste conteúdo, peço que ajude mais pessoas a entenderem como a propagação de DNS funciona compartilhando este artigo com seus amigos.

Caso tenha alguma dúvida a respeito deste assunto, por favor deixe seu comentário. Terei o prazer de conversar com você a respeito.

Um grande abraço e até a próxima!