As senhas são uma parte essencial da nossa vida digital, atuando como a primeira linha de defesa contra acessos não autorizados. No entanto, muitas pessoas ainda escolhem senhas fracas e facilmente previsíveis. Isso representa um risco significativo, tanto para dados pessoais quanto para informações corporativas. Entender quais são as senhas mais usadas pode nos ajudar a conscientizar sobre a importância de criar combinações mais seguras e eficazes.

No decorrer deste artigo, exploraremos as senhas mais usadas, os motivos por trás da escolha de senhas fracas, os riscos associados e como podemos adotar práticas mais seguras para proteger nossos dados.


Por que as senhas mais usadas são inseguras?

As senhas mais usadas são frequentemente inseguras porque são fáceis de adivinhar. Muitas pessoas escolhem senhas simples e comuns, como “123456” ou “password”, devido à sua facilidade de memorização. No entanto, essas senhas estão entre as primeiras a serem testadas por hackers, que utilizam listas de senhas comuns para tentar acessar contas.

Outra razão é a reutilização de senhas. Muitas pessoas utilizam a mesma senha para várias contas, o que significa que, se um serviço for comprometido, todas as contas associadas àquela senha ficam vulneráveis. Isso facilita o trabalho dos criminosos, que podem acessar várias contas de uma só vez.

Além disso, a falta de complexidade nas senhas contribui para sua insegurança. Senhas curtas e compostas apenas por letras ou números são mais fáceis de ser quebradas por ataques de força bruta. Esse tipo de ataque tenta todas as combinações possíveis até encontrar a correta, e quanto menos complexa for a senha, menos tempo o ataque levará.

Finalmente, muitos usuários ignoram as boas práticas de segurança, como a utilização de senhas únicas e complexas para cada conta e a atualização regular das senhas. Isso deixa as contas mais suscetíveis a invasões, já que os hackers estão constantemente aprimorando suas técnicas para roubar informações pessoais e financeiras.

86%

dos ataques de aplicativos da Web usam credenciais roubadas.

18%

dos itens mais comuns na dark web são contas, e-mails e senhas.

24B

de credenciais foram violadas desde 2016.


Lista das senhas mais comuns e perigosas

Existem inúmeras listas de senhas mais comuns, compiladas a partir de vazamentos de dados. Essas listas mostram que muitas pessoas ainda utilizam combinações extremamente fracas e fáceis de adivinhar. Aqui estão algumas das senhas mais perigosas e frequentemente usadas:

  1. 123456
  2. password
  3. 123456789
  4. 12345
  5. 12345678
  6. qwerty
  7. 1234567
  8. 111111
  9. 123123
  10. abc123

Essas senhas são extremamente populares porque são fáceis de lembrar. No entanto, isso também as torna extremamente inseguras. Hackers frequentemente tentam essas senhas comuns primeiro quando tentam acessar contas. Utilizar essas senhas é praticamente equivalente a não ter senha nenhuma.

Um estudo realizado pela NordPass revelou que as pessoas continuam usando senhas fracas apesar dos alertas constantes sobre segurança digital.

Além das senhas numéricas simples, outras combinações populares incluem:

  • password1
  • 1234
  • password123
  • iloveyou
  • admin

Essas senhas são igualmente perigosas e oferecem pouca proteção contra tentativas de invasão. Para melhorar a segurança, é crucial evitar senhas óbvias e optar por combinações mais complexas e longas, misturando letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. Usar um gerenciador de senhas pode ajudar a criar e armazenar senhas fortes e únicas para cada uma de suas contas.


Como criar senhas fortes e seguras

Criar senhas fortes e seguras é essencial para proteger suas informações pessoais e financeiras. Aqui estão algumas dicas fundamentais para garantir que suas senhas sejam difíceis de quebrar:

  1. Comprimento da senha: Quanto mais longa a senha, mais difícil será para alguém adivinhá-la ou quebrá-la por meio de ataques de força bruta. Idealmente, uma senha deve ter pelo menos 12 caracteres.
  2. Complexidade: Uma senha forte deve incluir uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. Evite usar palavras ou frases comuns que possam ser facilmente adivinhadas.
  3. Aleatoriedade: Evite sequências previsíveis como “123456”, “abcdef” ou “qwerty”. Em vez disso, crie uma senha aleatória que não tenha significado óbvio. Ferramentas como geradores de senhas automáticas podem ajudar a criar combinações seguras.
  4. Evite informações pessoais: Não use informações pessoais como nomes, datas de nascimento, ou qualquer dado que possa ser facilmente descoberto ou adivinhado por alguém que conhece você ou tem acesso às suas redes sociais.
  5. Frases de senha: Considere usar uma frase de senha, que consiste em uma sequência de palavras aleatórias ou uma frase curta e memorável. Adicionar caracteres especiais e números a essa frase pode aumentar ainda mais a segurança.

Por exemplo, uma frase de senha como “Verão2024!Sol” é forte porque combina letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos, além de ser relativamente longa.

    Dicas adicionais para segurança de senhas

    • Autenticação de dois fatores (2FA): Ativar 2FA em suas contas adiciona uma camada extra de segurança. Mesmo que alguém descubra sua senha, ainda precisará de um segundo fator de autenticação, como um código enviado para seu telefone, para acessar sua conta.
    • Atualização regular de senhas: Mudar suas senhas regularmente, especialmente para contas importantes, pode minimizar os riscos de invasão.
    • Não reutilize senhas: Usar a mesma senha para múltiplas contas aumenta o risco de uma invasão comprometer várias de suas contas. Cada conta deve ter uma senha única.

    Seguindo essas práticas, você pode garantir que suas senhas sejam robustas e que suas informações pessoais estejam protegidas contra acessos não autorizados.


    As senhas mais usadas em celulares

    Os padrões de desbloqueio são uma forma popular de autenticação em dispositivos móveis devido à sua conveniência e rapidez. No entanto, muitos usuários adotam padrões previsíveis que são fáceis de adivinhar, comprometendo a segurança de seus dispositivos. Aqui estão algumas das senhas de desenho mais usadas e por que são inseguras:

    1. Padrões em forma de letra: Muitos usuários optam por desenhar letras, como “L”, “O”, “M” e “Z”. Esses padrões são populares porque são fáceis de lembrar, mas também são fáceis de adivinhar para quem tenta desbloquear o dispositivo. Estudos mostram que até 44% dos padrões começam do canto superior esquerdo e seguem linhas simples, como a letra “L”.
    2. Padrões simples e simétricos: Desenhos que seguem linhas retas ou que formam formas simétricas, como quadrados ou cruzes, são muito comuns. Essas formas são fáceis de deduzir porque utilizam poucas interseções e são visíveis para quem observa discretamente.
    3. Utilização de menos pontos: Muitos usuários escolhem padrões que conectam apenas quatro ou cinco pontos. Quanto menos pontos, mais fácil é para alguém adivinhar o padrão. Padrões curtos são mais vulneráveis a ataques de “smudge”, onde os resíduos de óleo deixados na tela revelam o desenho utilizado.

    Estudos sobre padrões de desenho

    Um estudo realizado por Marte Luge, graduado pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, analisou os padrões de desbloqueio de 4.000 usuários e descobriu que muitos escolhem padrões previsíveis e fáceis de adivinhar. Por exemplo, 77% dos usuários começam seus padrões em um dos cantos da tela, e 10% dos padrões formam letras.

    Padrões de bloqueio no celular podem conter um mínimo de quatro nós e um máximo de nove, resultando em 389.112 combinações possíveis. De maneira semelhante às senhas, o número de combinações possíveis cresce exponencialmente com o comprimento, pelo menos até certo ponto. Aqui está a distribuição detalhada:

    COMPRIMENTONÚMERO DE COMBINAÇÕES
    41.624
    57.152
    626.016
    772.912
    8140.704
    9140.704

    Dicas para criar um padrão de desbloqueio seguro

    1. Evite formas e letras comuns: Em vez de desenhar letras ou formas simples, opte por um padrão que não tenha um formato óbvio. Utilize o máximo de pontos possível para aumentar a complexidade.
    2. Aumente a quantidade de interseções: Um padrão que cruza várias linhas é mais difícil de ser adivinhado. Quanto mais intrincado o desenho, mais seguro ele será.
    3. Comece de um ponto não usual: Iniciar o padrão de um ponto central ou de um ponto que não seja um canto pode adicionar um nível extra de dificuldade para alguém tentar adivinhar.
    4. Mantenha a tela limpa: Limpe regularmente a tela do seu dispositivo para evitar que os resíduos de óleo revelem o padrão de desbloqueio.
    5. Combine com outras formas de autenticação: Utilize autenticação de dois fatores ou métodos adicionais, como reconhecimento facial ou impressão digital, para aumentar a segurança do seu dispositivo.
    Padrão de desbloqueio

    Seguindo essas recomendações, você pode criar padrões de desbloqueio mais seguros, protegendo melhor suas informações pessoais e seus dispositivos móveis contra acessos não autorizados.


    Impacto das senhas fracas na segurança digital

    Senhas fracas representam um dos maiores riscos à segurança digital, tanto para indivíduos quanto para organizações. O impacto de utilizar senhas vulneráveis pode ser vasto e devastador, levando a uma série de problemas de segurança e consequências financeiras. Aqui estão alguns dos principais impactos das senhas fracas:

    1. Acesso não autorizado: Hackers podem usar técnicas como ataques de força bruta ou ataques de dicionário para adivinhar senhas comuns e ganhar acesso a contas pessoais e corporativas.
    2. Fraudes financeiras: Uma senha fraca pode permitir que um invasor acesse suas contas bancárias, faça transações não autorizadas, ou até mesmo roube sua identidade para obter crédito em seu nome.
    3. Vazamento de dados corporativos: Empresas que não implementam políticas robustas de senha podem sofrer violações de segurança que resultam no vazamento de informações corporativas sensíveis. Isso pode danificar a reputação da empresa, resultar em perdas financeiras significativas e levar a ações legais.
    4. Comprometimento de múltiplas contas: Se uma senha for comprometida em um site, todas as outras contas que utilizam a mesma senha também ficam vulneráveis. Esse efeito dominó pode permitir que hackers acessem várias plataformas, desde redes sociais até contas de email e serviços financeiros, ampliando o alcance do dano.
    5. Custos de recuperação e mitigação: Recuperar-se de um ataque cibernético causado por senhas fracas pode ser caro e demorado. Isso inclui custos diretos, como serviços de recuperação de dados e suporte técnico, e custos indiretos, como a interrupção das operações comerciais e a perda de confiança dos clientes.

    Exemplos de violações devido a senhas fracas

    Um exemplo notório é o vazamento de dados do LinkedIn em 2012, onde aproximadamente 117 milhões de senhas foram roubadas e algumas publicadas online. Muitas dessas senhas eram extremamente fracas, facilitando o trabalho dos hackers.


    Ferramentas para gerenciar suas senhas

    Gerenciar várias senhas pode ser desafiador, especialmente quando se busca manter um alto nível de segurança. Felizmente, existem diversas ferramentas projetadas para ajudar os usuários a criar, armazenar e organizar suas senhas de forma segura e eficiente. Aqui estão algumas das principais ferramentas de gerenciamento de senhas disponíveis:

    LastPass

    LastPass é uma das ferramentas de gerenciamento de senhas mais populares. Ele oferece um cofre seguro onde você pode armazenar todas as suas senhas. LastPass gera senhas fortes automaticamente e as preenche quando necessário, facilitando o login seguro em suas contas. Além disso, as senhas são sincronizadas em todos os dispositivos, permitindo acesso conveniente e seguro a partir de qualquer lugar.

      1Password

      1Password é outra excelente opção para gerenciamento de senhas. Ele permite armazenar não apenas senhas, mas também notas seguras, informações de cartões de crédito e documentos importantes. O 1Password oferece recursos avançados, como autenticação de dois fatores, monitoramento de violações de dados e a capacidade de compartilhar senhas de forma segura com membros da família ou colegas de trabalho.

        Bitwarden

        Bitwarden é uma opção de código aberto e altamente segura para gerenciamento de senhas. Ele permite que os usuários armazenem senhas, gerem novas senhas e sincronizem seus dados em vários dispositivos. Bitwarden também oferece um plano gratuito com recursos essenciais, além de planos pagos com funcionalidades adicionais, como armazenamento de arquivos e autenticação de dois fatores avançada.

          Benefícios de usar um gerenciador de senhas

          • Segurança aprimorada: Gerenciadores de senhas criam senhas complexas e únicas para cada conta, reduzindo significativamente o risco de invasão.
          • Conveniência: Essas ferramentas preenchem automaticamente senhas e outras informações de login, economizando tempo e esforço.
          • Armazenamento seguro: Senhas e outras informações são armazenadas em cofres criptografados, protegendo seus dados contra acesso não autorizado.
          • Monitoramento e alertas: Muitos gerenciadores de senhas monitoram a dark web e alertam os usuários sobre possíveis violações de dados envolvendo suas contas.

          Dicas para escolher um gerenciador de senhas

          1. Segurança e criptografia: Certifique-se de que o gerenciador de senhas utiliza criptografia forte (como AES-256) para proteger suas informações.
          2. Recursos adicionais: Verifique se a ferramenta oferece recursos extras, como autenticação de dois fatores, monitoramento de violações de dados e a capacidade de armazenar notas seguras e documentos.
          3. Compatibilidade: Escolha um gerenciador que seja compatível com todos os seus dispositivos e sistemas operacionais.
          4. Facilidade de uso: A interface deve ser intuitiva e fácil de usar, facilitando a adoção e o uso diário.

          Utilizar um gerenciador de senhas é uma das melhores maneiras de garantir a segurança de suas contas online e simplificar o gerenciamento de suas credenciais.


                  Autenticação biométrica: uma alternativa segura às senhas?

                  Com o avanço da tecnologia, a autenticação biométrica tem se tornado uma alternativa cada vez mais popular às senhas tradicionais. Utilizando características físicas únicas dos indivíduos, como impressões digitais, reconhecimento facial e íris, a biometria oferece uma camada adicional de segurança e conveniência. Mas será que ela pode substituir completamente as senhas?

                  Senhas biométricas

                  O que é autenticação biométrica?

                  Autenticação biométrica é um método de verificação de identidade que utiliza características físicas ou comportamentais únicas de uma pessoa. As formas mais comuns incluem:

                  • Impressão digital: Utiliza o padrão único das impressões digitais.
                  • Reconhecimento facial: Analisa características faciais para identificar uma pessoa.
                  • Reconhecimento de íris: Verifica o padrão único da íris dos olhos.
                  • Voz: Usa o padrão vocal para autenticação.
                  • Reconhecimento de veias: Utiliza o padrão único das veias na mão ou no dedo.

                  Vantagens da autenticação biométrica

                  1. Segurança aprimorada: Características biométricas são únicas para cada indivíduo e difíceis de replicar, tornando-as mais seguras contra fraudes. Por exemplo, é muito mais complicado falsificar uma impressão digital ou uma íris do que adivinhar uma senha.
                  2. Conveniência: A biometria elimina a necessidade de memorizar senhas complexas. Com um simples toque de dedo ou um olhar para a câmera, o usuário pode desbloquear seu dispositivo ou acessar sua conta.
                  3. Velocidade: Os métodos biométricos são geralmente mais rápidos do que digitar uma senha. Isso é especialmente útil em situações que exigem acesso rápido, como pagamentos via celular.

                  Desvantagens e desafios

                  1. Privacidade e segurança de dados: Armazenar dados biométricos levanta preocupações sobre privacidade. Se essas informações forem comprometidas, não podem ser alteradas como uma senha. Por isso, é crucial que esses dados sejam armazenados de forma extremamente segura.
                  2. Falsos positivos e negativos: Nenhum sistema é infalível. Há chances de erros de autenticação, como falsos positivos (onde alguém não autorizado é autenticado) e falsos negativos (onde o usuário legítimo é recusado).
                  3. Dependência de hardware: A autenticação biométrica requer hardware específico, como scanners de impressão digital ou câmeras de alta resolução, o que pode não estar disponível em todos os dispositivos.
                  4. Problemas de acessibilidade: Nem todos os usuários podem utilizar todos os tipos de biometria. Por exemplo, algumas pessoas podem ter dificuldades com impressões digitais devido a condições de pele ou problemas físicos.

                  Combinação com métodos tradicionais

                  Uma das abordagens mais seguras atualmente é combinar autenticação biométrica com métodos tradicionais, como senhas ou PINs, em um sistema de autenticação multifatorial (MFA). Isso fornece uma camada extra de segurança, tornando ainda mais difícil para atacantes obterem acesso.


                  Tendências e inovações em segurança digital

                  À medida que a tecnologia avança, a forma como protegemos nossas informações digitais também evolui. As senhas, embora ainda amplamente utilizadas, enfrentam muitos desafios de segurança.

                  Autenticação multifatorial (MFA)

                  A autenticação multifatorial combina duas ou mais formas de verificação, aumentando significativamente a segurança das contas. MFA geralmente inclui uma combinação de algo que você sabe (senha), algo que você tem (dispositivo móvel) e algo que você é (biometria). Esta abordagem já é comum em muitos serviços e deve se tornar padrão em todos os setores, pois dificulta a vida dos hackers que precisam comprometer múltiplos fatores para obter acesso.

                  Autenticação sem senha

                  O conceito de autenticação sem senha está ganhando popularidade. Neste modelo, os usuários não precisam lembrar ou inserir senhas. Em vez disso, a autenticação é feita por meio de links mágicos enviados por email, tokens temporários, ou biometria.

                  Chaves de segurança física

                  As chaves de segurança física funcionam como dispositivos USB ou NFC que geram tokens únicos para autenticação. Mesmo se um hacker conseguir a senha de um usuário, sem a chave física, ele não poderá acessar a conta. Essas chaves são especialmente úteis em ambientes corporativos para proteger informações sensíveis.

                  Criptografia avançada e algoritmos de hashing

                  Algoritmos como bcrypt, scrypt e Argon2 são projetados para dificultar ainda mais a quebra de senhas armazenadas. Além disso, a criptografia de ponta a ponta garante que os dados sejam protegidos durante a transmissão, reduzindo o risco de interceptação e ataques man-in-the-middle.

                  Biometria comportamental

                  Além da biometria tradicional (impressões digitais, reconhecimento facial), a biometria comportamental analisa padrões de comportamento, como a maneira de digitar, movimentos do mouse e padrões de uso do dispositivo. Essas características são difíceis de replicar, fornecendo uma camada adicional de segurança que é invisível para o usuário.

                  Inteligência artificial e aprendizado de máquina

                  A inteligência artificial (IA) e o aprendizado de máquina estão sendo utilizados para detectar e responder a atividades suspeitas em tempo real. Sistemas baseados em IA podem identificar padrões anômalos de login e alertar os usuários ou administradores sobre possíveis tentativas de invasão, melhorando a resposta a incidentes e a proteção de contas.

                  Identidades descentralizadas (self-sovereign identity)

                  A ideia de identidades descentralizadas permite que os usuários controlem suas próprias credenciais sem depender de um provedor centralizado. Utilizando tecnologias blockchain, essas identidades são verificáveis e seguras, permitindo que os usuários autentiquem-se em diferentes serviços sem expor suas informações pessoais repetidamente.

                  Autenticação contínua

                  A autenticação contínua monitora constantemente a atividade do usuário para garantir que ele seja quem diz ser durante toda a sessão. Em vez de verificar a identidade apenas no momento do login, este método avalia comportamentos e sinais contextuais, como localização, velocidade de digitação e interação com o dispositivo, para detectar atividades suspeitas.

                  Protocolos de segurança modernos

                  Protocolos como OAuth 2.0, OpenID Connect e FIDO2 estão modernizando a forma como a autenticação e autorização são gerenciadas. Eles oferecem maneiras mais seguras e eficientes de autenticar usuários e permitir acesso a recursos, minimizando a exposição de credenciais.

                  Educação e conscientização do usuário

                  Independentemente da tecnologia, a conscientização do usuário continua sendo crucial. Campanhas de educação sobre a importância de senhas fortes, a habilitação de MFA e o reconhecimento de ataques de phishing são fundamentais para reduzir a vulnerabilidade humana na segurança digital.


                  Perguntas frequentes sobre senhas

                  Aqui estão algumas perguntas frequentes sobre senhas e práticas de segurança, juntamente com respostas que podem ajudar a esclarecer dúvidas comuns:

                  Por que é importante usar senhas fortes?

                  Senhas fortes são cruciais para proteger suas contas online contra acessos não autorizados. Uma senha forte, que inclui uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos, é mais difícil de ser adivinhada ou quebrada por hackers, reduzindo o risco de violações de dados e fraudes.

                  O que é uma frase de senha e como ela funciona?

                  Uma frase de senha é uma sequência de palavras aleatórias ou uma frase curta e memorável que você pode usar como senha. Por exemplo, “Casa!Flores123”. Essas frases são mais fáceis de lembrar do que senhas curtas e complexas e podem ser ainda mais seguras devido ao seu comprimento e diversidade de caracteres.

                  Como posso saber se minhas senhas foram comprometidas em uma violação de dados?

                  Você pode usar serviços como Have I Been Pwned? para verificar se suas informações apareceram em violações de dados conhecidas. Esses serviços alertam se seu email ou outras credenciais foram expostos, permitindo que você tome medidas imediatas para proteger suas contas, como alterar senhas comprometidas.

                  O que devo fazer se esquecer minha senha?

                  Se você esquecer sua senha, utilize a opção de recuperação de senha oferecida pelo serviço. Normalmente, você precisará confirmar sua identidade através de um email, mensagem de texto ou pergunta de segurança.

                  É seguro salvar senhas no navegador?

                  Salvar senhas no navegador pode ser conveniente, mas apresenta riscos de segurança. Se alguém tiver acesso ao seu dispositivo, pode acessar facilmente suas contas.

                  O que é uma política de senha e por que é importante em empresas?

                  Uma política de senha é um conjunto de regras definidas por uma organização para garantir que senhas usadas pelos funcionários sejam fortes e seguras. Isso inclui requisitos sobre o comprimento mínimo da senha, complexidade (uso de letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos), periodicidade de alteração e proibição de reutilização de senhas antigas.